quinta-feira, 3 de março de 2011

Sobre a incapacidade de seguir adiante


Já não eram mais goles inocentes e reversíveis, era a garrafa inteira. Na verdade, garrafas, que pelas minhas contas eram três, de vinho que ele dizia que era caro com uma certeza de sommelier e me enchia com detalhes que só me faziam ter vontade de engolir aquele líquido como se tivesse sido adquirido em uma mercearia de esquina e custado 3,50. 
Ele falava tanto que não percebia que eu não só estava enchendo a cara, como o saco inteiro com aquele assunto. Afogava toda a dor e tédio naquelas taças bonitas de um vinho que não lembro o gosto nem o nome. E nós não tínhamos ido ali nem para beber e muito menos para falar, mas fizemos os dois com um rigor de forças armadas. Mas era justo, assim como eu não entendia dos vinhos dele, ele não entendia da minha matemática primária, nem das minhas teorias. 
Ele pulou para o jazz, o cinema, o blues, o passado de sonhos fragmentados e todas as possibilidades de sorrisos no futuro. Até que eu já não entendia seus pedidos, suas observações precipitadas e já dançava de olhos fechados e semi-nua pela sala de estar - que tinha um ar explícito de casinha de boneca, mesmo sendo de homem de 1,91m. Eu era apressada demais para a melodia de Astaire e pisava nos meus próprios pés. Abri os olhos, os deles continuaram fechados. Não tocava meus seios, não me lambia, não me chupava. Tocava meus lábios levemente com os dele. 
Quando segurou forte a minha mão, eu sabia que aquele seria apenas o primeiro passo para o escuro. Algo em mim suplicava para que não tivesse mais volta. Não voltar era justamente o que eu precisava. E eu queria que aquela noite durasse a vida toda, porque eu sabia que se ela acabasse, involuntariamente e sem direito de defesa ou contestação, eu voltaria para você, Baiano. Para você que está distante ou sequer existe. E é, justamente, por conseguir prever o final que eu sempre impeço os inícios. 


Até agora, Baiano, só consegui acompanhar o ritmo de Cheek to cheek com você. Porque é nesse exato momento que eu sempre mergulho nesse seu cheiro que eu nunca senti.






letra



01.03.2011 às 05:32

24 comentários:

  1. eu tou impressionada pela tua maneira.
    teu jeito de saborear a vida e nos mostrar com teus olhos.
    consigo enxergar...
    e é lindo!


    ps: baiano esse que abraçou um coração cintilante.
    ^^

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que já vim antes,mas com um template diferente... Enfim, eu amei esse lugar,me deu vontade de mascar um chicle rsrs
    obrigada pela visita..
    Seguindo os seus chicletes e cigarros...
    bjos :*

    ResponderExcluir
  3. Oi Morena!


    Dei uma rapidinha na página toda...Que maravilha! Além de criativo, você escreve bem demais. Enfim...Adorei!!! Estilo e conteúdo. Parabéns pelo blog.

    Obrigada pela visita e o comentário. Vou dar uma " escapada" nestes dias...Mas volto!


    Beijos com carinho.

    Beijos e bom carnaval.

    ResponderExcluir
  4. Talentosa e Simpática Amiga:
    "...Eu era apressada demais para a melodia de Astaire e pisava nos meus próprios pés. Abri os olhos, os deles continuaram fechados. Não tocava meus seios, não me lambia, não me chupava. Tocava meus lábios levemente com os dele..."

    Literariamente, perfeito!
    É extraordinária a sua escrita de sonho. Transcende de pureza, encanto e beleza imensas.
    Os meus parabéns.
    Bem-Haja, pela visita amável ao meu blogue que gostei muito.
    Escreve com talento e concebe assuntos de fascínio.
    Adorei.
    Abraço amigo de respeito e estima gigantescas pelo seu poder de maravilhar e deslumbrar.
    Sempre a admirá-la

    pena

    Bem-Haja, notável amiga.
    É prodigiosa e sensível.
    Genial.
    Parabéns renovados.
    MUITO OBRIGADO pela partilha lindíssima.

    ResponderExcluir
  5. Uma das frases mais simples e mais fortes e completas que conheço, é a boa e velha frase de Johnnie Walker:

    "Keep walking"

    E o motivo? Bom, preciso dizer?

    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Melhores posts que já lii... Mto interessante e profundo!

    "E é, justamente, por conseguir prever o final que eu sempre impeço os inícios."
    Qual a dose de verdade que há numa declaração como essa?! Vivo a me perguntar porque vivo acreditando que posso fazê-lo...

    Bjs!
    Td de bom pr'ocÊ!

    ResponderExcluir
  7. Simplesmente divino. Sem mais.
    "E é, justamente, por conseguir prever o final que eu sempre impeço os inícios."
    Amei. E também gostei do teu blog.

    ResponderExcluir
  8. Adorei tudo por aqui ... :)

    Te Sigo com Alegria !



    BjO.

    ResponderExcluir
  9. Menina que belas palavras*o*
    Nossa me identifiquei muito com seu blog !
    este é o meu
    http://sao-coisas-de-garotas.blogspot.com/
    bjoos. de sua NOVA seguidora ;]

    ResponderExcluir
  10. Obrigada pela visita, flor! É uma lar pequeno que mantenho quietinho e num cantinho isolado da população por acanhamento mas sua estadia lá fez meu dia muito feliz, acredite! És bem-vinda lá. Entre sem bater da mesma forma que tenho me divertido por demais com teus cigarros e chicletes imaginários! :)

    ResponderExcluir
  11. alcool, jazz.. ow my gosh, vc tá falando de mim nesse texto, fora a parte do baiano. Você escreve muito bem, deveria seguir em frente, encontrar outra fonte pra se inpirar...

    ResponderExcluir
  12. esses teus textos sempre me deixam encantada!
    seeempre!

    ResponderExcluir
  13. "E é, justamente, por conseguir prever o final que eu sempre impeço os inícios."

    Que coisa mais linda!
    Essa tua discrição do cenário e sentimentos resultou nesse texto belíssimo, adorei!

    =*

    ResponderExcluir
  14. vinho, pele, cheiro…uma noite para toda a vida…

    ResponderExcluir
  15. "amou daquela vez como se fosse a última..."


    ou ainda...

    "um branco, um xiz, um zero"

    ResponderExcluir
  16. " E é, justamente, por conseguir prever o final que eu sempre impeço os inícios."
    Pra mim essa frase disse tudo!

    Vc falou bem do meu blog, mas o seu, é um poço de sentimento! Já segui

    ;*

    ResponderExcluir
  17. "longe dele eu tremo de amor. Na presença dele me calo." Somos, às vezes, um amontoado de inconstâncias. Belíssimo texto, Morena! Meu abraço. paz e bem.

    ResponderExcluir
  18. Morena, seus textos são perfeitos. TEnho muita identificação por alguns deles e acho a sua capacidade de expressar tudo isso incrível.

    http://feedbackpositivoagora.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. Como sempre morena, cheia de talento com as palavras envolvendo o leitor de forma que ele nao consiga te escapar.

    Dan

    ResponderExcluir
  20. Parabéns pelo dia da Mulher!
    Aproveitaremos!
    Beijos meus

    ResponderExcluir
  21. Ser mulher é ser especial,
    amiga
    Quero abraça-la,e agradecer o carinho e a amizade,neste dia tão especial,seja feliz!
    Boas energias,paz,saúde,e luz,
    beijos poéticos
    Mari

    ResponderExcluir
  22. "E é, justamente, por conseguir prever o final que eu sempre impeço os inícios. " Cai de cabeça não é muito minha praia também. Parabéns, linda.

    ResponderExcluir
  23. Minha nossa... que coisa linda morena!!!

    Fui dançando ao ler teu texto... e por falar em dançar, isto "Eu era apressada demais para a melodia de Astaire e pisava nos meus próprios pés", foi música para meus ouvidos.


    Um grande Beijo!

    ResponderExcluir